sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Mudança na equipe de locutores da Jovem Pan 2


Depois de aproximadamente quatro anos na Jovem Pan 2 o locutor Ricardo Hill deixa a maior emissora no segmento jovem brasileiro Segundo Hill a opção em desligar-se da Jovem Pan se deu por motivos pessoais -"Estou saindo da Pan por vários motivos, entre eles reciclagem profissional, pois em março começarei minha Pós Graduação em Comunicação Social e tenho também outros projetos para esse ano que ainda não posso adiantar."
Ricardo Hill ainda ressalta: -"Adorei trabalhar na Pan, fiz todos os horários na Rede e na tradicionalíssima 100.9 FM de São Paulo, isso sem contar na excelente equipe de profissionais com a qual aprendi muito e só tenho à agradecer".
Mas o profissional não irá abandonar o microfone, Ricardo Hill continuará trabalhando para o Grupo Sol Panamby, na Rádio Nova Brasil FM 89.7 como Jornalista, locutor e apresentador do programa Nova Notícia que vai ao ar de Segunda à Sexta das 06 às 08 da manhã. Além da atividade de locutor Ricardo Hill é docente do curso de locução, operacional FM e radiojornalismo no Senac- SP.
Hill teve passagens em várias emissoras da capital paulista, entre elas, Rádio Cidade que transformou-se em Rádio Sucesso, Nativa FM, Transamérica Hits, América AM, entre outras. No interior de SP coordenou a Rádio Clip FM (Rádio com atuação em Indaiatuba e na Grande Campinas) e o profissional foi o responsável pela implantação da Rádio América AM em Capão Bonito.

Grupo Dibobeira lança nova Música









Em Campos, na próxima quarta-feira o Grupo de Pagode Dibobeira, lança a nova música na Diário FM, até o nome da música é mistério...Aguardem!

Incêndio em sistema da Telefônica tira sites de empresas do ar




Apesar de a Telefônica informar que a operação em seu data center de Alphaville, na Grande São Paulo, está "praticamente" normalizada, a pane ainda causa problemas para empresas que são clientes da operadora --o prédio sofreu um princípio de incêndio na tarde desta quarta-feira (25), fazendo com que seu funcionamento fosse suspenso.
Quase 30 horas depois do incidente, alguns sites hospedados pela Telefônica ainda estão fora do ar. É o caso da Controlar, empresa responsável pela realização da inspeção veicular na cidade de São Paulo, que enfrenta problemas desde a tarde de ontem, com disponibilidade de acesso inconstante.
06.ago.2008-Fernando Donasci/Folha Imagem
Data center da Telefônica sofreu princípio de incêndio, prejudicando acesso à rede
Com isso, não é possível fazer o agendamento para inspeção do veículo --cerca de 2,5 milhões de veículos devem passar por inspeção obrigatória na cidade neste ano. A Telefônica informa que técnicos das empresas "estão trabalhando para fazer funcionar o sistema o mais rápido possível".
O site da loja de materiais de escritório Kalunga também tem problemas de acesso. "Devido a problemas no data center da Telefônica nosso site encontra-se fora do ar temporariamente", informa uma nota da empresa.

Celso Teixeira assume Comunicação da Record






A Record comunicou à imprensa que o cargo de gerente nacional de Comunicação da emissora já tem novo dono. Celso Teixeira assume a posição a partir do próximo dia 09 de março.Teixeira é formado em jornalismo na Faculdade Casper Líbero, com passagens pelo SBT e Record. Recentemente esteve em Brasília, como repórter do Jornal da Record e apresentador do Brasília ao Vivo, da Record News.



Redação Adnews

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Por outro Lado!

A operação de rádio sem licença, de acordo com o projeto, deixa de ser crime e o responsável pela emissora responde apenas a processo administrativo. “Quando você flexibiliza, você abre uma porta que pode aumentar a criminalidade no setor”, disse Costa, que foi voto vencido na discussão do projeto. “Há setores do governo que entendem que o crime não é tão grave para permitir a prisão das pessoas.”
O setor de radiodifusão comunitária recebeu o projeto com um misto de comemoração e apreensão. De um lado, entidades celebraram a descriminalização. Do outro, alegaram que as rádios comunitárias estarão sujeitas a punições mais severas que as emissoras comerciais.
O coordenador da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária, José Sóter, disse que o projeto “é uma forma de legalizar a perseguição das rádios comunitárias”. Defensor da descriminalização, o coordenador da Intervozes, João Brant, atribui parte da clandestinidade no setor à lentidão do governo. “A maioria das rádios é ilegal porque não consegue se regularizar.”
Para Sérgio Gomes, do escritório paulista da Associação Mundial de Rádios Comunitárias e diretor da Oboré, a descriminalização corrigiria um dos “absurdos” na regulamentação da lei que rege o setor. Já o presidente da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão, Daniel Pimentel Slaviero, que representa as emissoras comerciais, criticou: “É um retrocesso”.
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) fechou 6.716 rádios consideradas clandestinas no País em cinco anos. O número é quase o dobro do total de autorizações (3.652) do Ministério das Comunicações para o funcionamento de rádios comunitárias em dez anos.
Existem hoje cerca de 15 mil rádios como essas em operação, diz a Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária. "As rádios não querem ficar clandestinas, mas há 18 mil pedidos de autorização e só 3 mil foram aprovados em quase 11 anos", diz Sebastião Santos, um dos fundadores da entidade.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Rádios com até 1 km de alcance poderão ser liberadas




O uso de radiodifusores de baixa potência não precisará mais da autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), se for aprovado o Projeto de Lei 5795/05, do deputado Robson Tuma (PFL-SP). De acordo com a proposta, equipamentos com potência inferior a 25 Watts, o que equivale a um alcance de um quilômetro a partir do local de instalação do aparelho, poderão ser utilizados para fins de radiodifusão sem constituir crime, a não ser em caso de radiointerferência prejudicial. O projeto altera a Lei Geral de Telecomunicações (9472/97) e a lei sobre radiodifusão comunitária (9612/98).
A legislação atual determina que apenas o uso de radiofreqüência pelas Forças Armadas, para fins militares, e o uso por meio de equipamentos de radiação restrita, definidos pela Anatel, independem de outorga.
Na opinião de Tuma, a medida visa facilitar a liberdade de manifestação, de pensamento, de criação e de acesso à informação. "A democratização dos meios de comunicação e, em particular, os de baixa potência, é direito do cidadão e dever do Estado", defendeu o deputado. "A mudança sugerida resolve em parte essa questão, permitindo o uso pela sociedade desse recurso escasso e finito", acrescentou.
Tramitação
A proposta tramita em regime de prioridade e foi encaminhada à Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. O projeto será analisado também pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania antes de ir ao Plenário.


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

"A Lei e o Crime" vence Globo com vantagem no Rio



O episódio de "A Lei e o Crime" da última segunda (09) novamente apareceu no primeiro lugar de audiência, vencendo a Globo por uma larga vantagem no Rio de Janeiro.Segundo o colunista Lauro Jardim, da Revista Veja, a série da Record fez 24 pontos de média, ante 15 da Globo, que transmitia o filme Plano de Voo. Esta foi a maior distância que a trama de Marcílio Moraes abriu sobre a segunda colocada e uma das maiores já abertas pela Record na cidade maravilhosa.Fonte: Na Telinha (Ad News)

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Governo quer descriminalizar rádios piratas, será?




Operar rádio clandestina no Brasil poderá deixar de ser crime, segundo uma proposta enviada pelo governo ao Congresso, em janeiro. A intenção de aliviar as penas para as emissoras irregulares é uma antiga reivindicação do setor de radiodifusão comunitária e também uma das bases políticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Pela proposta, os responsáveis pelas rádios ilegais não serão mais presos. Eles responderão a um processo administrativo e a operação será considerada uma infração gravíssima, passível de punição com multa e apreensão de equipamentos, além de suspensão da análise do pedido de licença. Porém, a prisão continuará prevista nos casos em que a operação das rádios coloque em risco os serviços de telecomunicações e a segurança pública, como a interferência de rádios piratas no sinal do tráfego aéreo.De acordo com informações do jornal Diário de Canoas, do Rio Grande do Sul, o projeto foi recebido com muitas críticas no Congresso. Os deputados integrantes da Comissão de Ciência e Tecnologia, por onde tramitará a proposta, defendem uma discussão mais ampla sobre o assunto, que envolva também o processo de concessão de outorgas, conduzido pelo Ministério das Comunicações. O país é conhecido pela demora na concessão de licenças. De acordo com dados da Comissão, estima-se que mais de 20 mil pedidos aguardem a aprovação.Atualmente, a legislação qualifica o funcionamento das rádios comunitárias não autorizadas como crime, punido com pena de detenção de 2 a 4 anos. O governo entende que as punições administrativas, como o fechamento das rádios, aplicação de multas e confisco dos equipamentos, serão suficientes para lidar com o assunto.

Redação Adnews

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Conhece o mp10, aquele de dois chips? vai vendo...



Sempre que faço uma matéria sobre um novo telefone celular (como o iPhone, Samsung DUOS ou o Nokia 5800 XpressMusic), logo surge o que eu batizei de “turma do MPX” com o mesmo argumento de sempre. Algo como “R$ 900 num celular? Que robo aê. Paguei 300ão no meu MP512 lá em santa e ele até faz café, flw!”.
Eu sei que estes MPX (onde X é um inteiro entre 6 e o infinito, aumentando a cada semana) são baratos, tem uma lista de recursos interessante (há modelos com TV analógica e até TV digital embutida) e cada vez mais populares. Não dá pra andar 100 metros na Liberdade ou em Sta. Efigênia sem ver pelo menos uma vitrine com meia dúzia de modelos, com preços para todos os gostos. Se você comprou e está satisfeito (e conheço pessoalmente pessoas que estão), parabéns.
Só não me venham, pelamordedeus, comparar o preço de um aparelho que no geral só existe por aqui graças ao contrabando com o de um produto que muitas vezes é produzido aqui, gera empregos aqui e paga impostos até demais. Simplesmente não dá. É a mesma coisa que pegar o preço de um produto nos EUA, converter para Reais usando a cotação do dia e bater o pé dizendo que é quanto ele deveria custar aqui. Isso é impossível e insensato.
Outra questão importante. Os aparelhos comercializados oficialmente em grandes redes, sites “de bem” na internet e lojas das operadoras tem garantia e assistência técnica. Se seu aparelho dá defeito depois de 4 ou 5 meses de uso, você o devolve à loja da operadora ou a uma assistência técnica autorizada. Nokia, Samsung, LG, Sony-Ericsson, Motorola e outras tem extensas redes de assistência com pontos espalhados por todo o país. Se seu MPX dá defeito (e a qualidade não costuma ser o forte dos fabricantes), para onde você corre? Na maioria dos casos os aparelhos tem “galantia tlês mês”. Depois disso… boa sorte meu amigo.
Antes de se render ao canto de sereia dos MPX, pense um pouquinho. O barato pode sair caro, e o prejudicado pode ser você.
PS: O título deve ser lido como MP10100. Alguém sabe que número é esse?

Agora vai! Congresso da Abert acontece em Maio

Congresso da Abert acontece em Maio

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão estará realizando entre os dias 19 e 21 de maio o 25º Congresso Brasileiro de Radiodifusão, em Brasília (DF). O evento pretende discutir a valorização do meio, a defesa da liberdade de expressão, inclusive comercial, e a interação com outras mídias. O tema do Congresso este ano é: “Radiodifusão: Compromisso com o Brasil”.O local escolhido para realização é o Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, um espaço moderno, com localização privilegiada, ideal para abrigar este já tradicional e prestigiado encontro. Maiores informações no site da Abert. www.abert.org.br

ORDEM NO TRÂNSITO Guarda Municipal atua na área central


Foi só eu comentar que a solução chegou...rs, fiquei até animado com esse negócio de blog!


Aconteceu no RJ


Isso aconteceu no Rio, ainda bem que em campos, isso não existe é só passar pela pelinca!