terça-feira, 18 de março de 2008

A CALÇA ARRIOU!!

Não bastassem os escândalos nos quais já está envolvido, o Prefeito de Campos, Alexandre Mocaiber (PSB) - hoje afastado do cargo -, foi desmascarado nacionalmente na noite de ontem, quando a Rede Record de Televisão, através do programa Domingo Espetacular, apresentou imagens que comprovam o envolvimento do Chefe do Executivo no esquema de desvio do dinheiro público no município.

As imagens também provam que a Polícia Federal vem seguindo os passos do prefeito há algum tempo, o suficiente para flagrar gravações do seu assessor, Francisco de Assis - preso na Operação Telhado de Vidro por beneficiamento no desvio de dinheiro público -, que negociou com o empresário Geraldo Seves um camarote no Carnaval deste ano, na Marquês de Sapucaí. Uma das principais provas do envolvimento de Alexandre Mocaiber com responsáveis pela contratação de shows superfaturados para Campos, surgiu durante o Carnaval, quando empresários patrocinaram momentos de mordomia num camarote exclusivo para o prefeito e seus convidados.

No camarote pago com o dinheiro dos cofres públicos de Campos, o prefeito e a primeira-dama, Cristina Mocaiber, receberam familiares e amigos, como a ex-diretora do Centro de Controle de Zoonoses, Vera Cardoso de Mello e o marido; familiares do ex-gerente municipal, Edílson Quintanilha e até o deputado estadual, Wilson Cabral (PSB) - eleito com o apoio de Mocaiber.

Em gravações, Francisco de Assis acertava os detalhes com Geraldo Seves - também preso na Operação Telhado de Vidro. Francisco perguntava a seves qual seria o camarote comprado para o prefeito Mocaiber e o empresário responde que seriam camarotes nos setores nove, 23 e 24 na Marquês de Sapucaí. “Você acha que eu ia botar o meu amigo, Dr. Francisco, no camarote sete? Isso é coisa de pobre”, diz Seves na gravação. De acordo com investigações, Geraldo Seves teria pago R$ 100 mil pelo camarote do prefeito.

O programa da TV Record exibiu também trechos da escuta telefônica montada pela Polícia Federal que revelam ser Ricardo Pimentel – o presidente da Fundação José Pelúcio, responsável pela contratação de funcionários temporários para a Prefeitura de Campos -, um dos cabeças do esquema que teria desviado R$ 240 milhões dos cofres do município. Porém a gravação dizia respeito ao tratamento que deveria ser dado ao prefeito no retorno a Campos, depois da folia no desfile do domingo de Carnaval, na Marquês de Sapucaí. Ao telefone com uma secretária, Ricardo Pimentel solicitava um tratamento especial ao prefeito e a primeira-dama, pedindo um helicóptero para transportá-los de volta. Ricardo frisa na conversa que o transporte do Chefe do Executivo era muito importante pra ele, pedindo “tratamento VIP”.

Em outra gravação, a confirmação da viagem, através de conversa da secretária de Ricardo Pimentel e Francisco de Assis, quando a moça diz que o Ricardo Pimentel havia solicitado um vôo, às 15h, saindo da Lagoa, com o comandante Baioque, numa aeronave PP-MAW, um esquilo azul. Na hora marcada, Mocaiber, Cristina e Francisco chegam para o embarque sem saber que estavam sendo monitorados pela Polícia Federal.

Sete continuam presos na polícia federal

A Justiça Federal já teria colocado em liberdade seis dos trezes presos na Operação Telhado de Vidro, realizada pela Polícia Federal em Campos na última terça. Permanecem presos por mais cinco dias, o ex-procurador do município, Alex Campos; o ex-coordenador do programa de bolsa de Estudos, Francisco de Assis Rodrigues; o ex-gerente de desenvolvimento, Edilson Quintanilha; os empresários Ricardo Luiz Paranhos de Macedo Pimentel, Antônio Geraldo Sevez, Marco Antônio França Faria e José Renato Guimarães, envolvidos em um escândalo que pode ter resultado na fraude de R$ 240 milhões ao município, em contratações irregulares de terceirizados e shows superfaturados.

O vídeo na íntegra com a reportagem completa da record pode ser visto em http://www.mundorecord.com.br/play/b1faf677-f462-4111-ab85-3587d889bfff

Nenhum comentário: